Páginas

domingo, 28 de fevereiro de 2010

O "único" ator da Suécia

Como eu já comentei várias vezes, eu adoro filmes. Sou cinéfila e por mim assistiria uns 3 filmes por dia, e pra ser sincera, costumo ver 1 filme por dia ou a cada dois dias!
Quando eu conheci o Eric e comecei a me interessar mais pela Suécia, não poderia ter sido diferente: logo quis ver filmes suecos!

O cinema sueco ficou muito famoso por causa do diretor Ingmar Bergman, que fez filmes como "O sétimo selo" e "Morangos silvestres" que se tornaram mundialmente famosos. Particularmente, eu não sou lá tão fã do Bergman. Já vi "o sétimo selo" e tentei ver um outro, mas eu não aguentava. Era uma mulher morrendo na cama, muito tédio, tudo muito parado.


Tirando os filmes do Bergman, no geral, filmes suecos estão entre os meus preferidos. Eles têm um sentido diferente dos filmes holliwoodianos que estamos acostumados. Têm valores diferentes. Costumam ter histórias de pessoas normais (não ultra-ricas como nos filmes americanos), em situações interessantes e originais.

Mas enfim, o que eu queria mesmo escrever é sobre um ator em especial: Michael Nyqvist.


Quando eu comecei a ver filmes suecos os primeiros filmes eram todos estrelados por esse mesmo ator, e eu então falava pro Eric: "mas a Suécia só tem um ator??? Esse cara está em todos os filmes!!"

Não é pra menos, ele é mesmo um excelente ator, e um dos mais prestigiados da Suécia. Ele tem 49 anos e é de Estocolmo. Pouco tempo atrás vi um pedaço de uma entrevista com ele e descobri que ele na verdade é adotado, e que o pai dele é italiano. O que faz sentido, porque ele não parece tão sueco assim, apesar dos olhos azuis...


Ele escreveu uma autobiografia, e fiquei muito interessada em ler, chama-se "När barnet lagt sig". Algo como "Quando a criança se deitou". Conta sobre a adoção dele e sobre a busca pelos pais biológicos.

Michael parece ser uma pessoa muito carismática, minha sogra trabalha no aeroporto e diz que já o viu algumas vezes e diz que ele é sempre uma simpatia em pessoa.

Trailer de filmes com ele que eu recomendo:
* Grabben i graven bredvid (sem legendas em inglês e o som não tá muito bom)
* Tillsammans (trailer com legendas e comentários em inglês)
* Så som i himmelen (sem legendas em inglês)
* Underbara älskade (sem legendas)
* Män som hatar kvinnor (legendas em inglês)
* Flickan som lekte med elden (sem legendas)
* Luft slottet som sprängdes (sem legendas)

No dia 19 de março vai estrear nos cinemas mais um filme com ele, "Änglavakt" e estou super anciosa pra ver! Parece ser um filme lindo. Depois que eu assistir venho aqui contar!

2 comentários:

novavidanovelhomundo disse...

Lua, eu também fui atrás de filmes suecos quando ainda estava no Brasil. Nada fácil de se achar, mas tinha o tal Morangos Silvestres. Blé! Não é horrível, mas não me convide pra assistir de novo. rsrs
Michael Nykvist pra mim "surgiu" com os filmes da Millenium, e a partir dalí assisto o que posso com ele! É mesmo muito bom.
Eu gosto em partes dos filmes suecos. Acho as comédias fraquíssimas (pra gente talvez ainda um pouco melhor porque vemos a cultura deles com outros olhos), os dramas bons pelo mesmo motivo que tu citou (tramas comuns sobre pessoas comuns, a gente se relaciona muito mais fácil), e os policiais repetitivos. Talvez tenha tido más experiências também, como Varg. rsrs
Beijos e ótima semana!

Lua Dandara disse...

Ai Mari, Varg realmente não é lá essas coisas...
pra mim no geral, filme sueco é estanho, mas eu gosto! hehe

Jägaren não gostei muito também... é bem estranho, a história é bizarra e pra mim que sou vegetariana, acho um horror matarem renas, veados e alces! hehe